quarta-feira, 23 de janeiro de 2019

Aeroméxico dá desconto a americanos com DNA mexicano





Companhia aérea dá desconto a americanos com DNA mexicano e ação viraliza.
Com esse objetivo, a companhia aérea promove uma ação para dar descontos aos viajantes de acordo com um critério inusitado: o DNA.
 “Estados Unidos  é o principal destino turístico dos mexicanos, mas o principal destino dos americanos não é o México”. É assim que começa uma campanha da  AeroMéxico, que tenta atrair mais cidadãos dos EUA ao país vizinho.
Com esse objetivo, a companhia aérea promove uma ação para dar descontos aos visitantes de acordo com um critério inusitado: o DNA.
Ao fazer o exame, quanto maior a porcentagem de ascendência mexicana, maior o desconto. Por exemplo, se houver 20% de herança genética do país latino, o turista terá 20% de desconto na passagem.
A ação de marketing não cita nomes de políticos, mas vem em um momento conturbado,. O presidente Donald Trump tenta construir um muro na fronteira entre Estados Unidos e México para barrar a passagem de imigrantes ilegais.

sábado, 19 de janeiro de 2019

O Desafio de uma Viagem por Mellina Hernandes




Toda viagem é sempre única e desafiadora. Quando vou para um novo destino fico com aquele medo pensando se dará tudo certo, se conseguirei pessoas para me ajudar, se conseguirei conhecer todos os pontos turísticos, se terei algum problema no hotel por causa da Hilary, meu cão-guia... Mas e quando a viagem é para outro país? O medo é maior ainda! Além de todas essas preocupações, tem a preocupação com o idioma, mas, apesar de tudo isso, não deixo de conhecer outros países, sempre damos um jeito! O importante é viajar e se divertir!
Tenho experiências fora do país sem e com cão-guia. Antes de pegar a Hilary já fui para Europa e Estados Unidos, inclusive já morei em Orlando.
Na Europa visitei Paris, Madrid, Grécia (Atenas e Creta) e Londres. Apesar de não dominar bem o inglês na época, muito menos francês e grego, me virei até que bem! Aprendi o básico nesses idiomas, pelo menos para se iniciar uma conversa e depois tentava finalizar no inglês.
Sempre me recordo de 2 ocasiões em Paris. Uma foi quando pedi ajuda para uma senhora, ela não falava inglês, nos comunicamos por gestos, até hoje não sei como consegui entender o que ela quis dizer, já que não enxergava direito os gestos e não entendia direito o francês!rs. Uma outra foi quando sai de madrugada para pegar fretado até o aeroporto, ia para Madrid, rua deserta, garoando, me perdi, no desespero fui atravessar a rua e um carro estava passando, tentei pedir ajuda, mas o mesmo se repetiu, ele não falava inglês, me ofereceu carona, acabei aceitando, ele me deixou onde eu queria, mas sempre naquela comunicação gestual e em francês. Foi a minha primeira viagem internacional sozinha, tiveram vários perrengues, mas voltei com muita história para contar!
Ainda não fiz uma viagem internacional sozinha com a Hilary, principalmente porque dependendo do país tenho alguns problemas, e estando sozinha acaba sendo um pouco mais complicado, mas ainda quero fazer esse tipo de viagem sozinha com ela!
Quando fomos para Argentina, tivemos muita recusa dos estabelecimentos em aceitar nossa entrada, mesmo falando que era lei, não permitiam a nossa entrada e acabava indo embora, já que em outro país não sabemos direito como são as coisas, além de não dominar o idioma.
Fui com a Hilary para Argentina, Chile, Estados Unidos e Uruguai. O lugar mais tranquilo foi Estados Unidos, não tivemos problemas em nenhum passeio que fizemos.
Uma diferença grande do Brasil com os outros países é o nosso “calor humano”, aqui estou acostumada com as pessoas sempre oferecendo ajuda e “nos tocando”, lá fora, normalmente eles pedem autorização para segurar em você, ou nem isso, somente ficam olhando.
Em Paris levei um mega tombo próximo ao Museu do Louvre, tinha um rapaz ao telefone, em momento algum ele me ofereceu ajuda para levantar, somente ficou me olhando para ver se eu estava bem, confesso que achei isso bem estranho, mas são os costumes deles. Em Orlando, quando um funcionário foi me ajudar a ir até a montanha-russa, ele me pediu licença para segurar em mim, em várias ocasiões me avisavam o que iriam fazer comigo.
O medo aparece, os perrengues acontecem, mas não podemos deixar de fazer as coisas por causa disso! Sempre tiro coisas boas de tudo, um novo aprendizado, e principalmente, história para contar!
Vamos embarcar comigo nas aventuras da vida?
Todas as histórias contadas acima estão em nosso Blog, acesse www.4pataspelomundo.com e acompanhem nossas andanças por esse mundão!

quarta-feira, 2 de janeiro de 2019

Guias turísticos terão de cadastrar veículos no Cadastur





Na última semana de 2018, foi sancionada lei que obriga quem trabalha como guia turístico e usa carro próprio para transportar turistas a inscrever o veículo no Cadastro dos Prestadores de Serviços Turísticos (Cadastur). O registro também deve ser feito no município e no Estado onde a atividade estiver envolvida.
Conforme a lei sancionada, que tramitou na Câmara dos Deputados como PL 7614/10, fica proibido o licenciamento de veículos com menos de três portas para o transporte de passageiros, assim como aqueles daqueles com mais de cinco anos de fabricação. A autoria é do deputado federal Otavio Leite (PSDB-RJ), hoje secretário de Turismo do Rio de Janeiro.

Oficialmente, a ideia é evitar que o profissional seja confundido como um motorista de transporte irregular de passageiros, por exemplo.

A norma será limitada a um veículo, que poderá ser do guia, de seu cônjuge ou dependente. Independentemente da vistoria de trânsito, o veículo registrado estará sujeito à inspeção da entidade registradora. Em caso de venda, o proprietário deverá providenciar a baixa do veículo em até 15 dias.

*Fonte: Câmara dos Deputados

sexta-feira, 28 de dezembro de 2018

Alexandre Garrido liderou Nova Norma ISO de Sustentabilidade para Hotéis


Cássia Penza e Alexandre Garrido


Concluído o processo internacional de criação e aprovação da ISO 21401 de gestão sustentável para meios de hospedagem foi liderado desde o início pelo brasileiro Alexandre Garrido.

A norma ISO 21401 de gestão sustentável para meios de hospedagem publicada esta semana tem origem no Brasil e foi desenvolvida sob a liderança de um brasileiro. A organização ISO padroniza, no mundo, a forma de avaliar e garantir a qualidade de produtos e serviços. Ela poderá agora servir para a padronização das centenas de normas e selos de certificação existentes no turismo, ao atender qualquer porte e estilo de hospedagem, independentemente da sua localização, e cobrir os três âmbitos da sustentabilidade – ambiental, sociocultural e econômico.

“Se 15 anos atrás, a sustentabilidade era uma tendência, agora é fundamental. Ser sustentável é uma abordagem nova e moderna para os negócios”, comenta Alexandre Garrido, coordenador da atualização brasileira e do processo na ISO. Ele garante que o objetivo é ajudar as empresas de hospedagem a serem mais competitivas (gerando economia e eficiência na operação), mais justas socialmente, impactarem menos o meio ambiente e melhorarem a experiência dos hóspedes.
A norma ISO 21401 de gestão sustentável para meios de hospedagem publicada esta semana tem origem no Brasil e foi desenvolvida sob a liderança de um brasileiro. A organização ISO padroniza, no mundo, a forma de avaliar e garantir a qualidade de produtos e serviços. Ela poderá agora servir para a padronização das centenas de normas e selos de certificação existentes no turismo, ao atender qualquer porte e estilo de hospedagem, independentemente da sua localização, e cobrir os três âmbitos da sustentabilidade – ambiental, sociocultural e econômico.
“Se 15 anos atrás, a sustentabilidade era uma tendência, agora é fundamental. Ser sustentável é uma abordagem nova e moderna para os negócios”, comenta Alexandre Garrido, coordenador da atualização brasileira e do processo na ISO. Ele garante que o objetivo é ajudar as empresas de hospedagem a serem mais competitivas (gerando economia e eficiência na operação), mais justas socialmente, impactarem menos o meio ambiente e melhorarem a experiência dos hóspedes.



quinta-feira, 27 de dezembro de 2018

Novo Modelo de Vendas de Diárias de Hotéis





A nebulosa relação entre hotéis, intermediários e hóspedes na hora da definição dos preços está prestes a acabar. Isso porque o  Reserva Cool traz um conceito inovador para venda de diárias, que promete transparência e valores bem abaixo do mercado tanto para os clientes quanto para os hoteleiros. Mas como isso funciona?

Diferente do que outros players deste mercado oferecem, com a cobrança de comissões que podem chegar a 23%, as tarifas da hospedagem são integralmente transmitidas ao cliente, que poderá comparar os reais preços do hotel. “Assim, proporcionamos diárias justas a quem reserva e quem hospeda. Impactamos o meio e transformamos o fim, proporcionando economia para todos os lados, com transparência e legitimidade”, afirma o CEO do Reserva Cool, Thiago Filho.

Em vez de abusivas comissões, a empresa brasileira estabelece uma pequena taxa fixa por reserva aos clientes, independentemente do preço da diária. Já para os hotéis, o Reserva Cool criou um programa de parceiros, que envolve taxa de configuração para inclui-los à rede e uma mensalidade, com rentabilidade comprovada.

A comparação entre o modelo clássico e essa nova gestão é incontestável. Em um exemplo com base em comissões de 13% e diárias a R$ 200, o hotel economiza cerca de 86% a cada 30 diárias vendidas, e esse número só aumenta conforme a diversificação de preços e valores de comissão.

O Reserva Cool já está presente em mais de 25 cidades do Brasil e conta com parceiros como Atlantica Hotels, Radisson Red, Hilton Garden Inn, Quality e Four Points by Sheraton. Em poucos meses de operação, a empresa já contabiliza mais de cinco mil reservas por mês, o que representa um crescimento exponencial de três dígitos na operação.

O mercado hoteleiro já está olhando para o Reserva Cool, e você?

PARA O AGENTE DE VIAGENS

Depois de investir para entregar a melhor plataforma e modelo de negócio para os hotéis, o Reserva Cool prepara uma solução para valorizar os agentes de viagens. A transparência e respaldo ao profissional que forma a base da indústria de viagens serão os pilares deste novo negócio, formatado exclusivamente para os agentes brasileiros.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

Cerveja Gabiru com Sabores do Brasil e Rótulo em Braille


A cervejaria Colorado passou na frente no quesito iniciativa consciente e lançou sua nova linha que celebra os seis biomas brasileiros: de Floresta Amazônica, Mata Atlântica, Caatinga, Pampas até o Cerrado, a estréia é justamente uma receita de American IPA que leva em sua composição o fruto gabiroba, doce, agradável e pertencente a região do Cerrado.
E o quesito biodiversidade brasileira não para por aí, no rótulo da Gabiru, podemos encontrar a descrição “Cerveja com ingrediente brasileiro” escrita em braille. Se depender da cervejaria ninguém fica de fora dessa mesa!
A edição é limitada, o preço sugerido é de R$18,90 .
O objetivo da cervejaria é mostrar com afinco a riqueza e potencial do Brasil: “Vamos entregar aquilo que dá uma noção do território que compõe a nossa nacionalidade, da nossa flora e fauna, da biodiversidade brasileira”, destacou Marcelo Carneiro, fundador da Colorado.

quinta-feira, 29 de novembro de 2018

Hoteleiros do Nordeste estão otimistas para 2019





Os hoteleiros do Nordeste se mostraram mais otimistas em relação ao desempenho de seus negócios no terceiro trimestre do ano. De acordo com a Sondagem Empresarial, realizada pelo Ministério do Turismo, os empresários da região apresentaram maiores percentuais de expectativas positivas na comparação com empreendedores do setor de acomodações das outras partes brasileiras em relação a seis variáveis pesquisadas, como faturamento, número de empregados e gastos. Foram consultados 719 empreendimentos em todo o País.

Cerca de metade dos hoteleiros do Nordeste projetam um aumento nos próximos seis meses, ao mesmo tempo que 66,2% planejam investir nos empreendimentos no mesmo período. No Ceará, 60,7% pretende fazer aportes nos estabelecimentos até maio de 2019, enquanto na Bahia, esse percentual chega a 68,3%.


No âmbito regional, o segundo maior percentual de otimismo do empresariado em relação ao aumento de faturamento está no Centro-Oeste, com 45,9%, seguido pelo Sudeste, com 44,4%. No Sul e Norte, 38,3% dos hoteleiros pesquisados manifestaram expectativas de mais dinheiro em caixa nos próximos seis meses.

Os empresários também apostam no crescimento da demanda pelo destino onde estão localizados seus empreendimentos e no aumento dos gastos dos turistas. No Nordeste, os percentuais chegam a 48,6% e 39,6%, respectivamente. Já no Sudeste, o segundo colocado, registra 41,3% e 39,6%. Acompanhando essa visão positiva está a ampliação da oferta de serviços para 46,1% dos nordestinos e 43,9% dos empresários do Sudeste.


As contratações e manutenções de emprego possuem expectativas boas para 27,2% dos hoteleiros nordestinos e para 25,6% dos empresários do Sudeste. Também são positivas as perspectivas de aumento de rentabilidade do setor, cujo maiores índices foram apurados pelo MTur entre nordestinos (35,5%) e entre os empreendimentos do Sudeste (34,7%).

As expectativas de investimentos não são diferentes. A projeção otimista atinge a maioria dos empresários em todas as regiões, com destaque para o Centro-Oeste, onde a certeza de turbinas o empreendimento é de 15% e a possibilidade foi citada por 45,8% dos consultados. No Nordeste, a relação é de 12,5% e 53,7%, respectivamente. Em todos os casos, a soma de certeza e probabilidade de realização de investimentos até março é superior a 60%.